Comentários

Planejando a falácia, sabemos quanto tempo leva para concluir uma tarefa?

Planejando a falácia, sabemos quanto tempo leva para concluir uma tarefa?

Há pessoas que fazem cálculos e estimativas do tempo necessário para concluir cada tarefa otimista demais. É a isso que se refere a falácia do planejamento, sobre o qual falaremos neste artigo.

Qual é a falácia do planejamento

Listas Esta palavra está presente no dia a dia de muitas pessoas que precisam ter total controle sobre o que fazem diariamente. O cruzamento de tarefas dessas listas é um prazer sem o qual elas não podem viver.

A falácia do planejamento é um termo que foi cunhado pela primeira vez em 1979 por Daniel Kahneman e Amos Tversky. É um dos vieses cognitivos mais estudados no mundo.

Seu significado é o seguinte:somos otimistas demais ao estimar o tempo Precisamos terminar de fazer algo. As tarefas e projetos calculados de maneira inexata e otimista demais têm finalmente custos econômicos, sociais e pessoais.

Normalmente, isso acontece apenas com suas próprias tarefas. Ou seja, com o que vamos fazer nós mesmos. Em parte, isso está ligado à auto-demanda que, em muitos casos, temos em relação à nossa própria pessoa.

De fato, se nos pedissem para estimar o tempo que outra pessoa gastará nessa tarefa, é provável que pensemos que levará mais tempo do que deveria. Isso é conhecido como falácia do planejamento.

Isso não tem nada a ver com a ignorância do trabalho ou tarefa que será executada, mas acontece mesmo com tarefas que já realizamos em muitas ocasiões e tarefas semelhantes a outras em que já temos experiência.

A explicação para isso é a seguinte: quando planejamos é normal nos colocarmos no cenário mais otimista. Nesse cenário, não há lugar para eventos imprevistos. Este é o primeiro e grande erro, porque eventos imprevistos fazem parte do nosso dia a dia.

Há também uma parte do pensamento ilusório na pessoa, porque se concentra mais no resultado do que no caminho a ser seguido para obtê-lo. Portanto, a razão não faz parte do processo de planejamento.

Acontece também que, com o tempo, geralmente vemos o que fizemos com otimismo e um componente de viés. Ou seja, vemos de maneira distorcida o que aconteceu em projetos semelhantes e culpamos que os elementos externos não foram bem.

Às vezes, é comum que isso também ocorra como uma maneira de impressionar ao trabalhar em grupo, ou que se pretenda minimizar os custos para impressionar um chefe, um amigo ou parceiro, se passarmos para o campo pessoal.

Como podemos intuir, é um problema que produz uma forte frustração, porque no final do dia sempre há tarefas a serem executadas. O pior acontece quando essas tarefas se acumulam e o estado de ansiedade ocorre.

Como resolver esse problema de falácia de planejamento

Para resolver esse problema muito comum, existem métodos que estão sendo desenvolvidos de várias maneiras e áreas. O gerenciamento de tempo é uma das chaves e existem muitas teorias de como isso pode ser feito.

O gestão do tempo É importante e você precisa conhecer muitos aspectos que influenciam se o planejamento vai bem ou não. Isso enfatiza especialmente a definição de prioridades, marcos e prazos. E, é claro, em deixar espaço para esses imprevistos que acontecem todos os dias e não dependem apenas de nós.

Para evitar isso, você deve pensar em larga escala. Isto é, evitar excesso de otimismo e falsas expectativasBem, é necessário um planejamento mais premeditado e talvez algumas ferramentas extras quando houver muitas tarefas a serem realizadas.

Há várias regras que podem ser aplicadas, como 1-2-5. Isso se refere ao fato de que você precisa se concentrar primeiro em uma grande coisa, depois em três coisas do meio e, finalmente, em cinco pequenas.

Também é importante detectar vazamentos de atenção. Um exemplo: aquele momento em que estamos executando um trabalho e nos dá uma olhada no celular. Vemos uma mensagem, paramos de responder ... Pode levar apenas 5 minutos, mas recuperar nossa concentração exigirá pelo menos mais 10 minutos novamente.

A procrastinação é outra coisa que afeta o planejamento. É comum empreendermos uma tarefa preguiçosamente e acabarmos nos metendo em outros de menor importância para finalmente deixarmos o mais importante para o final. Saber quais são nossas horas de maior produtividade e aplicá-las a tarefas mais complexas também é positivo.

Em resumo, como você viu, a falácia do planejamento pode ser um grande problema. Portanto, anote tudo o que lhe dissemos e tente não tornar o planejamento uma obsessão.